História de Valmaior

um pouco de História

História

O nome da freguesia corresponde à larga depressão fluvial, com a várzea que ali se forma, que avança até à parte terminal do Rio Caima. Claro que em oposição havia outros vales.

Mas este, em questão desenvolveu-se no repovoamento de reconquista dadas as boas condições agrícolas que possuía.

Freguesia dedicada essencialmente à agricultura, silvicultura, extracção de inertes e em projecção nacional à fábrica de pasta de papel (hoje localizada na zona industrial de Albergaria.) e um lagar de azeite (em Rendo).

O povoado do templo, em tempos antigos, tinha o nome de Igreja. 

A actual Igreja Paroquial dedicada a Santa Eulália, resultou de várias transformaçoes feitas sobre a que foi construída, provavelmente no século XVII. A Igreja possui alguns retábulas de várias épocas, sacrário de boa qualidade, e uma custódia cálice do fim do século XVII, do barroco pedreiro, considerada de grande valor artístico.

Vale Maior é o primeiro centro urbano de interesse na estrada de Albergaria a Viseu (nacional 16) e ponto de acesso às regiões mineiras de Sever e Silva Escura. Hoje fica ligeiramente a poente da referida estrada.

Vale Maior é uma terra de impressionantes lendas, que ainda hoje os mais antigos lembram, como por exemplo:

  • O Feitiço das bruxas
  • O Lagarto com cabeça de bebé
  • A fonte do namoro
  • O pão que fala
  • Bruxas em Vale Maior
  • O Lobisomem à solta em Vale Maior.